Antes mesmo de completar-se um ano da fundação da Casa de Viseu, percebeu-se a necessidade da formação de um grupo que, em suas festas típicas, representasse um pouco das danças e dos cantares da terra natal, daí resultando a fundação, no dia 11 de junho de 1967, DO RANCHO FOLCLÓRICO ADULTO DA CASA DE VISEU, tendo como seus padrinhos: a cantora Olivinha Carvalho e Lima Abreu, este último um grande incentivador do folclore português.

Nos primeiros anos de sua existência, o nosso Rancho consistia basicamente em um grupo revisteiro que representava canções populares de norte a sul de Portugal. Esta fase, contudo, teve excepcional importância pois lançou as bases para que o Rancho atraísse a maior parte dos jovens que frequentavam a Casa de Viseu, tornando-se uma parte fundamental dentro da instituição. Prova disto é a frase repetida com freqüência: “O Rancho Folclórico é o cartão postal da Casa de Viseu”.

Dando continuidade ao processo de aperfeiçoamento de seu rancho, em 1981, recebe durante 23 dias o Rancho Folclórico de Torredeita, legítimo representante do folclore beirão, e já em dezembro do mesmo ano, o Rancho da Casa de Viseu estréia seus novos trajes, danças e cantares somente do Distrito de Viseu, com seus 24 Concelhos (municípios), região esta representada tanto pela Casa como por ambos os Ranchos. Em 1982, o Mirim segue os mesmos passos dentro do estilo de busca da autenticidade visiense. Nesse mesmo ano foi gravado o primeiro disco (LP) pelo Rancho, com cantares típicos, e que se chamou: “Cantares da Beira”. Até hoje já foram gravadas mais quatro edições, nos anos de 1988, 1990, 1998.

O intercâmbio com Ranchos de Portugal intensificou-se de tal forma que o Rancho tornou-se conhecido como o que mais e melhor recebe agrupamentos em suas instalações. Incontáveis grupos de folclore, de teatro, bandas de música, tunas universitárias, etc, têm vindo de Portugal, assim como de outros estados brasileiros e até do México.

Logo desde sua fundação, o Rancho destacou-se, em suas apresentações, por sua simpatia, recebendo constantemente inúmeros convites para apresentar-se em diversas cidades pelo Brasil.

Com o objetivo de proporcionar aos mais novos a oportunidade de praticar e preservar as tradições lusas, foi também fundado, em 11 de junho de 1978, o RANCHO FOLCLÓRICO MIRIM DA CASA DE VISEU e, desde então, tem servido como fonte inesgotável de renovação do Rancho Adulto, que hoje conta com mais de 80% de seus integrantes advindos do Rancho Mirim.

Com o passar do tempo, foi-se aprimorando o desempenho do grupo bem como a afirmação da autenticidade de suas vestimentas e representações, tudo isto muito mais a partir do momento em que se deu início ao processo de intercâmbio com instituições públicas e particulares de Portugal.

Outra conseqüência da busca da autenticidade, levou o Rancho, em 1989, a se tornar reconhecido e aceito como membro efetivo da Federação do Folclore de Portugal, com sede em Arcozelo (Gaia).

Em função desse intercâmbio e de sua comprovada autenticidade, o Rancho Folclórico da Casa de Viseu é um dos mais requisitados agrupamentos tanto no Brasil como no exterior, para onde viajou já por seis vezes: 1985, 1992, 1995, 1998, 2001 e 2008. Nestas oportunidades, percorreu todo Portugal (do Algarve ao Minho), levando o folclore do Distrito de Viseu e o samba carioca até os palcos da Espanha, da França, da Bélgica, Holanda, Canadá e Argentina.

Como não poderia deixar de ser, em tais viagens, o nosso Rancho sente-se bem mais em casa quando visita o Distrito de Viseu, já tendo percorrido todos os seus 24 Concelhos e sido recebido pelos Presidentes de Câmaras, Presidentes da Assembléia Distrital e Governadores que têm se sucedido.

Com uma atuação tão marcante e representativa, o nosso querido Rancho tem-se constituído no verdadeiro embaixador da Casa de Viseu em Portugal e, porque não dizer, por toda a parte em que se faça presente.

Negar a importância do Rancho Folclórico é desconhecer a própria história da Casa de Viseu.

 

NOSSAS FOTOS